quinta-feira, janeiro 21, 2010

Estamos ficando velhos e ultrapassados

Como as coisas mudam rapidamente, não acham? Parece que foi ontem mesmo que estava brincando de Atari na casa do meu primo. A sensação de estar ficando velho é algo verdadeiramente frustrante, para mim. Até então eu ainda me achava um adolescente que poderia falar sobre desenhos japoneses – que assisti – de igual para igual com os novos admiradores de desenhos japoneses do século 21. Comecei a notar que estava ficando velho quando entrei em uma roda de conversação de nerds, que se reuniram em uma livraria perto da minha casa, e todos pararam de repente me olhando como se eu tivesse soltando uma bufa daquelas!

— Olha! Se for por conta do fedor, juro que não fui eu! – prontamente esclareci a situação.

Mas nada! Ninguém comentou absolutamente nada. Apenas um gordinho que estava com a boca suja de picolé que esboçou uma gargalhada meia-boca. Mesmo assim, logo que notou que seus amigos não estavam rindo, tratou de fechar a cara. Fiquei ali parado e com aquele sorriso arregaçado como quem tivesse muito para falar e nada para ouvir... Ledo engano! Falávamos de coisas diferentes. Não existe mais quem gosta de desenhos japoneses. Agora são animes, e ponto final! Tinham até um nome para aqueles que adoravam assistir os desenhos jap... digo, animes que eram os Otakus (cf., nerds que passam 24hr do seu tempo assistindo animes e/ou lendo mangas).

Aos poucos o meu sorriso escancarado foi perdendo força.

— Quando é que vão falar de Jaspion? E do Jiraya?! Ah! Cavaleiros do Zodíaco é de lei, não é? (...) Não é?! (...)

Não, não era... Falavam de Naruto, Fullmetal Alchemist, Bleach e outros que eu nem imaginava que existia. Nessa hora eu já achava que estava sobrando por ali. Só esperava encontrar um momento oportuno para sair da roda. Como não houve esse tal momento, resolvi perguntar aos presentes qual era o melhor anime de todos os tempos. Nada poderia me impedir de fazer esta pergunta. Afinal, com toda certeza, diferentemente das outras áreas, os animes do passado são aclamados até hoje por terem sido percussores de uma geração inteira de ‘desenhomaníacos’. Existe em todos aficionados por animes um sentimento nostálgico que sempre vem à tona quando o assunto é o melhor dos melhores. Sempre haverá lugar para as ressalvas neste ambiente; um verdadeiro combate de conhecimento inútil é travado com ares nostálgicos. Pois bem, voltemos à cena.

— Moçada, me digam qual foi o melhor desenho jap... digo, anime de todos os tempos?

Neste momento um sorriso voltou com força total quando aquele gordinho – que ainda estava com sua boca suja – disse (sabe quando todos param de falar ao mesmo tempo e aquela voz quase sem convicção é ouvida ao fundo? Foi assim mesmo.):

— CAVALEIROS DO ZODÍACO!!!!! – disse o garoto todo empolgado.
— Errr... quer dizer... eu acho... Err... – sussurrou o envergonhado rapaz.

Aproveitando a deixa do garoto, não hesitei em concordar com o guri.

— Boa! Eu também acho que CDZ¹ foi o melhor anime já produzido – agora já estavam na minha praia –. De longe, CDZ é muito melhor que esses desenhos da atualidade! A única coisa da atualidade que é superior ao animes do passado é o gráfico mais colorido e bem mais detalhado. O que é normal, dado o nível de tecnologia da época em comparação ao nível de hoje, né! Aliás, se existe algo para demonstrar que os animes de antes são melhores do que os de hoje é a mensagem de que “a amizade supera todos os obstáculos”. Assim como este círculo de amigos, vocês devem permanecer unidos e fiéis uns aos outros blablabla...

E o discurso continuou por alguns minutos...

Após esse discurso maravilhoso, totalmente inspirado em Luiz Inácio Lula da Silva (SIC), descobri que o tempo verdadeiramente não para, é verdade! Da mesma forma, algumas coisas boas da vida se tornam eternas em nossa mente. Lembra do “que seja eterno enquanto dure / posto que é chama”? É bem por aí. Naquele momento um jovem garoto me fez sentir ainda mais agradecido por ter nascido em uma época na qual os desenhos japoneses traziam uma lição de moral superior, muitas vezes, aos ensinos religiosos. O amor, a verdade, a perseverança, a solidariedade e até o perdão era a tônica desses desenhos. Obviamente que regado a muitas espadadas, socos, raios-lasers, monstros de outras galáxias etc, etc, etc. O que fica realmente é aquele sentimento nostálgico de que a minha geração não foi perdida, ela apenas cresceu! (...) Tudo bem! Ela apenas envelheceu, pois, nem todos cresceram. Alguns ainda ficaram parados no tempo. Fazendo uma força danada para que tudo voltasse a ser como era há 20 anos atrás. Pobres Quixotescos² ! O tempo passa para todos e não há nada que possamos fazer para mudar esta realidade.

Ao contrário de hoje que a programação é feita para agradar o desejo cíclico de violência, os desenhos japoneses mostravam que era possível o bem vencer o mal, ainda que tal luta se estendesse por longos capítulos. Tudo bem! A intenção principal sempre foi o lucro. Enquanto a isso, nada mudou. Mas só sei que as coisas eram bem diferentes. Hoje o mal vence o bem e fica por isso mesmo. Não há nenhum limite moral entre os heróis da atualidade. Tudo é permitido. É por essas e outras que prefiro ficar com a lembrança dos meus heróis do passado. Aqueles heróis que conseguiram fazer com que uma criança comum se tornasse um homem que acredita que o bem sempre irá vencer o mal, demore o tempo que for. Que não existem as batalhas perdidas, mas sim, as batalhas que deixamos de ganhar e perdemos por desistência.

A bem da verdade, a minha intenção era compartilhar um pouco da minha infância com vocês, leitores. Mas acho que este texto serve também como uma reflexão ao fim/início de uma nova Era que estamos presenciando. Estou certo de que o “boom” tecnológico só está no início. A partir de agora, o que puder ser guardado para as novas gerações, que seja guardado! Pois, estamos ficando velhos e ultrapassados, pelo menos para a nova geração. Inclusive o ideal de que o bem sempre vence o mal, mesmo que seja no final (by Sandy & Júnior?!?! - Blergh!).

Um pouco da minha infância para vocês:

"Esquadrão Relâmpago Changeman" - produzido em 1985 no japão, foi transmitido no Brasil pela TV Manchete em 1988. Já apanhei várias vezes da minha mãe por ficar cantando a música de abertura o dia todo... e em japonês!

Acompanhe a abertura: http://www.youtube.com/watch?v=O2fz7xdJ5jM


"Comando Estelar Flashman" - Feito em 1986 no Japão mas exibido em 1988 na Rede Manchete. As músicas deste 'Super Sentai' estava presente em minha infância.

Acompanhe: http://www.youtube.com/watch?v=kDsqJBk6xMg

Simplesmente, Jaspion! O melhor tokusatsu que já existiu. Produzido no Japão em 1986, foi transmitido pela Rede Manchete a partir de 1987.

Confira a abertura: http://www.youtube.com/watch?v=V7OsAyufqaw&feature=fvw

"O incrível ninja - Jiraya". Este, junto com o Jaspion, foi o que mais me marcou. Em especial pela forma em que ele acabava com seus inimigos utilizando de sua 'Espada Olímpica' (katana). Deixarei a abertura e um momento para que possam ver o que eu fazia com os adultos quando estava munido de um pedaço de vassoura na mão.

Abertura: http://www.youtube.com/watch?v=jgopOCnHYkE&feature=related

Episódio: http://www.youtube.com/watch?v=nr5WeNKFboU&feature=related

"Os Cavaleiros do zodíaco" (Saint Seya) Criado no Japão em 1986, só veio ao Brasil em 1994. A sua música de abertura virou praticamente um hino para a nação dos NERDS. Para alguém ser considerado um NERD, primeiramente ele deve saber cantar esta abertura de cor e salteado - ainda fazendo os trejeitos do cantor.

Primeira abertura: http://www.youtube.com/watch?v=WCV74ZtLx6I

Segunda abertura (versão Rede Manchete): http://www.youtube.com/watch?v=LFdC99igXrg&feature=related

Terceira abertura: http://www.youtube.com/watch?v=8cDCWFZiFjA&feature=related

Abertura - pt (Hades - A saga do santuário): http://www.youtube.com/watch?v=Ik97MqwFwPA&feature=related

Abertura - original (Hades - A saga do santuário): http://www.youtube.com/watch?v=nJ00RRJvxDI&feature=related

Abertura - pt (Hades - Campos Elíseos): http://www.youtube.com/watch?v=wci5H18yXqU&feature=related

Abertura - original (Hades - Campos Elíseos): http://www.youtube.com/watch?v=omZGgNX5JnM



[1] Abreviação de Cavaleiros do Zodíaco.


[2]Diz respeito ao livro Dom Quixote, de Miguel de Cervantes. Em sua insanidade, Dom Quixote lutava com moinhos de vento achando que eram gigantes.


4 comentários:

Christiane disse...

Eu sou do tempo do ultraseven... affff amigo...

Estou de volta com novos blogs e separada.

Estou ficando velha e sozinha hahahahahahahahahaha....

Abraço.

Fernando Henrique Liduário Maximiano disse...

kkkkkkkkk...

Ultraseven... eu assistir tb!

Velha não, experiente!

Sozinha não, só dando um tempo!

Beijos e ciaoO!

Fabiano Oliveira disse...

TEXTO EXPETACULAR,FOI A MELHOR COISA
QUE LI NA INTERNET EM TODOS OS TEMPOS, VALORES MORAIS EM AÇãO,
O BEM VENCERÁ SEMPRE VENCERÁ , O MAU O VALOR
DA ESPERANÇA E DA PERSEVERANÇA DA AMIZADE TUDO ISSO CAVALEIROS DO ZODIACO NOS PASSOU,POR ISSO É O MELHOR "ANIME" DE TODOS OS TEMPOS.
ABRAÇOS ESPETÁCULA BRAVO,VC CONSEGUIU TRADUZIR EXATAMENTE O QUE EU ESTAVA SENTINDO.

Fernando Henrique Liduário Maximiano disse...

Obrigado, Fabiano Oliveira! Muito bom encontrar "jaspionmaníacos" por aqui ainda, além de mim. seja bem vindo quando quiser.