sábado, julho 22, 2006

Igreja como organismo Vs. Igreja como organização

De certa forma, não me vejo tão perto assim da realidade de pertencer a uma geração eleita por Cristo. Claro que aos olhos de um simples mortal que sou. Tenho a completa convicção de que mesmo estando vivendo neste mundo mas não pertencendo a ele, de uma forma completamente pentecostal de raciocinar, sinto-me cada vez mais longe daquilo que seria a minha meta... a razão da minha existência. Vejo em minha volta pessoas preocupadas apenas com o que vão vestir, preocupações variadas de um pesamento totalmente influenciado por uma sociedade consumista e cada vez menos humana e verdadeira, enquanto outras pessoas se preocupam se vão simplesmente estar vivas ao amanhecer... Consigo com uma facilidade imensa me sentir um hipócrita por fazer parte de uma comunidade tão ausente mas ao mesmo tempo, tão falante! O que restringe as ações desta parcela é o medo de parecer "mundano" para sua liderança terrena. Tomando para si o mesmo pensamento herético de uma forma de pensar chamado Zoroastrismo, um indivíduo que viveu na Pérsia que se chamava Zoroastro e que sistematizou um dualismo complexo e radical cuja sua influência é observada em pensamentos heréticos como o gnosticismo, o maniqueísmo e também no CRISTIANISMO...

A igreja em nossos dias dividiu-se em duas partes: de uma lado está a igreja como organização. Com sua sedes maravilhosas, com sua liderança eclesiástica impecável e aparentemente fora da sua realidadebíblica. Com a "pura" intenção de ampliar o Reino de Deus aqui na terra, não importanto como será feito contanto que as cadeirassejam todas elas ocupadas!! O termômetro apresentado nesta parte da igreja para se saber qual é o nível de êxito é o "se todos estão dizimando ou não"! (...) Do outro lado está a igreja como organismo. Que sofre cada vez mais a influência da igreja como organização. Com a sua visão ofuscada pelo brilho "dourado" que o vem da outra parte cada vez mais "próspera". A igreja como organismo vem se esgueirando para conseguir sobreviver e se manter pura ao olhar amoroso do Seu cônjuge.

Será que a relação Igreja como organismo Vs. a igreja como organização são grandezas inversamente proporcionais? isto é, quanto mais a igreja cresce como organismo, mais ela diminui como organização e vice-versa? Felizmente vejo que ainda não é este o caso... apesar desta realidade não se mostrar tão distante.

O medo que eu tenho de refletir sobre este assunto, e chegar a uma severa e verdadeira conclusão de que eu tambem faço parte de uma sociedade alienada e acostumada com aquilo que enche apenas o campo de visão, é o mesmo medo que está tomando conta de todos os cristãos hoje em dia. O medo de se encontrar repreensivel em seus atos tem afastado todo e qualquer tipo de pensamento a respeito deste assunto tão importante e vital para que a igreja como organismo não venha a sofrer baixas irreversíveis. Mas é mais fácil e mais cômodo ficarmos presos a uma idéia de que a simplicidade que o evangelho é apresentado, nos libera, da maneira mais coloquial possível, do papel de participantes do corpo de Cristo e responsáveis pelo caminho em que o Corpo está trilhando. Sempre com uma disculpa nos lábios: "Nossos líderes são responsáveis por ouvir e nos orientar!!" ... "Não possuo o chamado para tal coisa!!" ... (...)

É realmente um pena ver tanto potencial escorrendo pelo esgoto da inércia. O motivo que nos une como um organismo, poderá ser tambem o motivo que nos separará deste mesmo organismo se não reconhecermos, cada cristão, a nossa parcela de responsabilidade neste Corpo. Ouvi certa vez que "se a denominação souber equilibrar a espiritualidade (organismo) com a institucionalização da igreja (organização)", sem confundir liberdade no Espírito com "bagunça", obteremos de certo que uma forma no mínimo melhor apresentada de igreja do que a forma atual. Concordo até certo ponto. Não vejo como uma forma de institucionalização da igreja possa ser apresentada de maneira totalmente fiél aos moldes bíblico. O que me leva a outra reflexão...


4 comentários:

Camila disse...

Esse texto dispensa mts comentários... mas, acho q é realidade, uma vez q por comodidade, o "organismo" têm sido influênciado pela "organização". Não é possível uma cabeça andar sem o corpo, ou o corpo andar sem cabeça (com excessão dos contos... rs), nós somos parte do corpo e Cristo é o cabeça, mas infelizmente nossa geração mts vezes tem acomodado e, como diz nesse texto, se omite e deixa q seu "líder" tome as decisões. Independente do chamado, somos parte do "organismo" e devemos procurar exercer influência na "organização".

Regininha disse...

Ollaaa amadinhoooooooo!!!!
Tow em falta c vc... pois ha dias disse q viria aki, ms na verdade eu vim e li.. só naum comentei, entaum, concordo c suas palavras, sobre o texto da Igreja como organismo vs. Igreja como organização.
Isso e verdadeiro.. a igreja tem q crescer como organismo e naum como organizaçao...
Bjaum!!!
Estarei sempre por aki!!!
Passa no meu flog depois!!!
=*********

Anônimo disse...

Por que nao:)

Henriques Massunga disse...

primeira vez a acessar este ficheiro, xtou preocupadado nesses ultimos dias com a postura da igreja, e nao tinha ponto de partida para a reflexao sobre o assunto.
eu tambem axo que a igreja e um organismo que por um lado a parte organizacional influi negativamente no seu crescimento. mas por outro lado sou de opiniao de que a igreja precisa ser organizado; como um todo (cada membro no seu lugar e desempenhando a sua actividade)