quarta-feira, junho 13, 2007

Deus está fora do Espaço-Tempo

Comum é dizer-se que as doutrinas Deterministas se popularizam a partir do renascimento, por meio do discurso cientificista que visava estabelecer todas as relações de causa e efeito do mundo físico. Muitos cientistas do século XVIII e XIX consideraram a possibilidade de que todo o Universo era uma imensa máquina perfeitamente ordenada, que funcionava como um relógio de alta precisão, e que bastaria controlar todas as variáveis envolvidas que poderíamos, em tese, prever o curso futuro dos eventos.
Mas na verdade, um exame mais atento notará que doutrinas deterministas são tão antigas quanto a humanidade, e na verdade até muito mais fortes em contextos extremamente afastados da tradição científica e filosófica. Por isso o Determinismo de teor cientificista esta condenado a ser sempre uma assertiva não sujeita a comprovação. O mesmo porém não o ocorreria com o Determinismo de teor Místico, para o qual há propostas de Seres que podem sim saber todas as informações necessárias para prever qualquer evento no Universo da mesma forma como um computador pode saber os resultados futuros de um processo de dados do tipo jogo virtual de bilhar.
Se há um ser OMNISCIENTE, esse ser tem total conhecimento de todos os eventos, inclusive detalhes de cada mínima partícula, podendo então saber tudo o que acontecerá e aconteceu, e se é OMNIPOTENTE, nem mesmo a aleatoriedade do mundo quântico seria obstáculo para tal ser, pois ele teria poder sobre cada nano evento.
Sendo assim, é forçoso admitir que tal ser controlaria com total precisão cada ínfimo detalhe da realidade, ainda mais sendo este ser ETERNO, pois sequer precisaria calcular qualquer evento futuro, tais eventos já estariam prontos.
Sendo assim, um Deus ONISCIENTE e ONIPOTENTE é a mais radical e extrema forma de Determinismo. Seria o Destino Imutável em si, manifestado em sua própria essência, e conseqüentemente, incompatível com qualquer idéia de Livre Arbítrio

"Se sendo Sapiente não se pode pecar, logo quem peca não é Sapiente, sendo insciente. Deve este ser punido por ainda não ser Sapiente, se não recebeu instrução?" (...) Esta foi uma das questões que Agostinho levantou na questão Pecado X Livre-arbítrio...


Não se trata de querer agir como Hércules ao resgatar Prometeu. Ou sim?
A idéia é, uma vez que não somente Santo Agostinho como nenhuma outra pessoa jamais foi capaz de propor uma solução clara e satisfatória para conciliar o Livre Arbítrio com os OMNI atributos divinos, bem como conciliar as idéias de Círculo e Quadrado, resta por força da lógica, optar por um ou outro uma vez que não se esteja obrigado a aceitar uma profissão de fé que exija a sustentação das duas.
Calvino optou por preservar os Omni atributos, destruindo o Livre Arbítrio com a doutrina da Predestinação. Eu não posso dizer que concordo plenamente com as idéias de calvino... poderia dizer que concordo com algumas coisas de 'cada' pensador que estão sempre em questão,a saber Calvino, Arminio e Agostinho. Estes possuem idéias interessantes, mas as suas idéias não são perfeitas e acho que uma, de uma certa forma, completa a outra! Poderia dizer que antes de conhecer a Jesus eu era Arminiano e agora que fui constituído como filho de Deus, vejo que sou Calvinista (hehehe)... em contra ponto, sou também Agostiniano!
Remover a perfeição de Deus não poderia ser mais simples, basta subtrair o mesmo elemento que inviabiliza o Livre Arbítrio, que é tão somente a ONISCIÊNCIA, Absoluta, que Santo Agostinho geralmente chama de Presciência, ou Onisciência Futura, mas esse termo é omisso quanto a "Ciência" do Presente e Passado, e não especifica a amplitude de tal Presciência, por isso, creio que o simples termo Onisciência, se tomado em seu sentido máximo, implica necessariamente em "Ciência" total atemporal.

Citações de autores desconhecidos por mim.

Artigo fomentado em meados de junho de 2006.

3 comentários:

Wagner Almeida disse...

Muito interessante este artigo sobre a grandeza de Deus foras dos limites do espaço-tempo. Também penso assim, porém mesmo tendo Deus todos estes atributos, não entra em conflito com o livre-arbítrio desde que mesmo que Ele saiba e esteja em todos os eventos do espaço-tempo, pelo seus princípios eternos não interfira, deixando fluir as consequências naturais das escolhas de seres livres com capacidade de escolha.
wagner7almeida@gmail.com

Denis Cabral disse...

Muito interessante!
É por isso que as maiores descobertas e experiências científicas tem correlação com o tempo-espaço. A teoria da relatividade por exemplo. O homem crente ou descrente na sua busca por poder sabe que nunca poderá chegar lá se não dominar o tempo-espaço. Nunca chegará lá...está muito acima da compreensão humana e do jeito que as coisas andam, mesmo se não tivesse uma intervenção divina num futuro próximo, a raça humana não existiria tempo suficiente para conseguir dominar tais variáveis.

Denis Stein Cabral
deniscab@gmail.com

Denis Cabral disse...

Muito interessante!
É por isso que as maiores descobertas e experiências científicas tem correlação com o tempo-espaço. A teoria da relatividade por exemplo. O homem crente ou descrente na sua busca por poder sabe que nunca poderá chegar lá se não dominar o tempo-espaço. Nunca chegará lá...está muito acima da compreensão humana e do jeito que as coisas andam, mesmo se não tivesse uma intervenção divina num futuro próximo, a raça humana não existiria tempo suficiente para conseguir dominar tais variáveis.

Denis Stein Cabral
deniscab@gmail.com