segunda-feira, junho 26, 2006

Resenha do lIvro de Ester

Bíblia.Português.Bíblia de Estudo Pentecostal.Edição revista e corrigida. Belo Horizonte:CPAD,1995.

O livro de Ester enseja um estudo do caráter de cinco personagens principais do referido livro. (1) o rei Persa, Assuero; (2) seu primeiro ministro, Hamã; (3) Vasti, a rainha que antecedeu Ester; (4) Ester, a formosa judia que tornou-se rainha; (5) Mardoqueu, o íntegro primo de Ester que a adotou como filha e cuidou dela em sua mocidade. A figura principal nos eventos do livro é Mardoqueu, pois ele influenciou a rainha Ester e lhe deu conselhos retos.Seu texto pode ser dividido em 10 partes. Na primeira parte, o rei Assuero oferece um grande banquete a todos os seus príncipes e os seus servos, para mostrar a tua glória. Este banquete durou cerca de 180 dias. Ao término deste festejo, o rei Assuero convidou a todos que se encontravam dentro de sua fortaleza a participar com ele de uma festa que duraria cerca de 7 dias. Chegado o sétimo dia, Assuero manda que seus eunucos trouxessem a sua rainha para que o rei a exibisse para todos em seu reino. Recusando a rainha Vasti a obedecer o que seu rei havia lhe ordenado, o rei tomado de ira, toma conselho com os mais próximos dele e decide que irá destituir a rainha Vasti de todos os direitos como rainha. No capítulo que se segue, os jovens do rei que lhe serviam, mandou que enviasse a todas as províncias do seu reino um decreto, informando que se reunam todas as moças virgens e formosas em sua fortaleza que se encontrava em Susã. E a que parecesse bem aos olhos do rei Assuero, reinaria no lugar de Vasti. Havia um homem que se chamava Mardoqueu, homem judeu que criara uma moça também judia que se chamava Ester. Esta moça era formosa de aparência e foi escolhida dentre várias pelo rei Assuero para ser sua rainha. Mardoqueu descobriu uma conspiração para tirar a vida do rei e conta para a rainha Ester. Esta por sua vez conta para o rei em nome de Mardoqueu que resolve investigar. Constatando ser uma verdade o fato que dois de seus eunucos tramavam contra a vida do rei, Assuero executa os eunucos. Fato que foi acrescentado ao livro das crônicas perante o rei.No terceiro capítulo, Assuero exalta Hamã com uma posição acima de todos os príncipes que estavam com ele. Tornando-se depois de Assuero o segundo no comando do seu reinado. Mardoqueu por ser judeu, não se prostrara diante Hamã que enfurecido e decidido a se vingar de Mardoqueu, planeja a morte de todos os judeus com a permissão do rei Assuero. Em seguida, houve grande consternação e tristeza em meio aos judeus. Eles demonstravam o seu pesar através do jejum, choro e lamentação. Mardoqueu explica a rainha Ester o que iria suceder com o seu povo. Ester não vendo outra solução, apregoa ao seu povo jejum e oração em favor dela por trinta dias. Porque ela iria se apresentar ao rei sem ser convidada. Todos aqueles que se apresentasse ao rei sem ser convidado poderia ser condenado a morte.No quinto capítulo, sucedeu que ao terceiro dia, a rainha Ester entra na presença do rei Assuero e este concede sua permanência e a questiona sobre o que a afligia. Ester faz um convite ao rei e a Hamã para um banquete em seu palácio. Hamã fica feliz pelo convite e comenta com sua esposa a respeito do que tinha acontecido. E também toma conselho com sua esposa sobre o que fazer com o Mardoqueu. Zeres sua mulher, então teve uma idéia de fazer uma forca bem de cinqüenta côvados de altura para enforcar Mardoqueu antes de participar do banquete com o rei e a rainha.Na Sexta parte, nos mostra que o rei Assuero estava sem sono e foi dito que se trouxessem o livro das memórias das crônicas. Assuero então fica sabendo que foi Mardoqueu quem avisara sobre os dois eunucos que atentaram contra o rei. Sabendo que nenhuma honra havia concedido a Mardoqueu, mandou que se chamasse a Hamã que estava vindo ao encontro do rei para pedir a cabeça de Mardoqueu. Hamã ao chegar na presença do rei, é indagado a respeito do que há de ser feito ao homem no qual o rei se agrada. Hamã responde: “Que este homem vista veste real do rei, monte o cavalo que o rei costuma andar, põem sobre sua cabeça a coroa real e desfile com ele pelas ruas da cidade e fale diante do povo: Assim faz o rei com o homem de cuja honra se agrada.”. O rei Assuero então ordena que Hamã fizesse tanto quanto falou a Mardoqueu, o judeu. No capítulo seguinte, Hamã vai ao banquete que a rainha havia proposto. Ela faz a sua petição ao rei indagando a respeito de poupar a sua vida e a do seu povo. Assuero indignado, pergunta a Ester quem por ventura era o seu opressor, o qual ela responde que se tratava de Hamã, o segundo depois do rei. Por certo tempo, o rei vai ao jardim para pensar sobre a situação. Enquanto isso, Hamã lança suplicas por sua vida a rainha. Ao voltar do jardim, Assuero se depara com a esta cena e se enfurece. No mesmo momento, um eunuco do rei informa que a forca que Hamã tinha feito para Mardoqueu estava pronta e o rei Assuero então decide que Hamã deveria morrer enforcado por esta mesma forca que ele construiu.Na oitava parte, a rainha Ester recebe do rei a casa na qual Hamã habitava e Mardoqueu recebe do rei Assuero o seu anel e todas as honras por ter sido leal. O rei concede um edito em favor dos judeus. Tal edito é recebido com muita alegria, luz, gozo e honra. No capítulo seguinte, nos mostra que no dia treze do mês de adar, chegou a palavra do rei informando que quando os inimigos dos judeus estavam prontos para dominá-los, aconteceu o contrário. Os que auxiliavam o rei orientaram os judeus para se armarem e eles foram a luta contra o seu inimigo. Dizimaram com toda a geração de Hamã matando os seus dez filhos e dos seus aborrecedores setenta e cinco mil homens. A fama de Mardoqueu se espalhou perante todo o reino e foi ordenado que se guardassem o dia quatorze do mês de adar e o dia quinze para se festejar como o dia em que todas as tristezas foram transformadas em alegrias. Na última parte, Mardoqueu foi conhecido como o maior depois do rei Assuero e grande para os judeus e agradável para com as multidões. Buscava o bem para seu povo e a prosperidade de toda a nação.O livro de Ester é de fácil entendimento, e possui a narrativa como gênero literário, tornando-se o texto agradável de ser lido e bastante vibrante. Este texto é indicado para pessoas que estejam passando por momentos difíceis na vida com o mesmo contexto de perseguição que vemos com os judeus nesta narrativa.

7 comentários:

Mariana disse...

Oi Fernando!
Resolvi ler essa resenha! Meu comentário mandei no seu e-mail...
Bjos!

mariana disse...

... ah! essa leitura foi por livre e espontanea pressão sua no tel... rssss! brinkadeira!

Anônimo disse...

Me ajudou muito pra fazer um resumo pra minha ficha de leitura do colégia HAHAHHAHAHAHAHA

Anônimo disse...

INCRIVEL, COMO DEUS AGI, QUANDO,SOMOS UMILDES,E FIEL, IGUAL A MARDOQUEU, DEUS, NOS EXALTA E NOS FAZ VERDADEIROS VENCEDORES.

karen laryssa disse...

foi bom para o vestibular biblico da igreja que bom rsrsrsrsrsrs karen laryssa cantora mirim

Anônimo disse...

Muito bm vai me ajudar na ginkana dos jovens no final da semana.

juliano cesar de oliveira disse...

Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha...me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda
www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?
www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html